Recomendações

(12)
Christina Morais, Advogado
Christina Morais
Comentário · há 2 anos
Quanto aos advogados de interior, não sei se a nova lei os prejudicará em termos de clientela. Poderão continuar atendendo os clientes normalmente, ainda mais que os processos s são eletrônicas hoje em dia. A diferença é que a perícia médica judicial e as audiências carecerão de um custo de viagem aos bolsos do cliente. Mas, isso prejudicará o cliente? Aí é que entram as questões práticas. Observo há alguns anos que os advogados de interior cobram por ações previdenciárias um valor superior ao cobrado pelos advogados das cidades sede da JF. E a razão dessa diferença, a meu sentir é a boa e velha lei da oferta e da procura. Como diz o ditado, em terra de cego quem tem olho é rei. Há mais oferta de advogados nos grandes centros. Não quero citar nomes (nem mesmo de cidade), mas já fui contratada para ingressar com ação na JF por gente do interior porque o cidadão achou que valia mais a pena, já que "o advogado" (parece que era o único) lá da cidadezinha dela, para distribuir a ação de aposentadoria rural na JC local cobrava seis mil reais em honorários iniciais (isso em 2017). Não vou botar preço no serviço dos outros, e nem chutar "uma média", mas garanto que na minha cidade, que é sede da JF cobrar seis salários mínimos de honorários iniciais é suicídio (pelo menos pra maioria dos "mortais"). Os valores de iniciais variam mas não costumam chegar a tanto. O que eu acho que vai acontecer é que com o tempo os advogados do interior terão que acompanhar os valores de honorários praticados por seus pares na cidade sede da JF mais próxima. Isso pode "prejudicar" ou "beneficiar", afinal, estou falando da experiência na minha região. Mas dentro da realidade que eu conheço, o cidadão terá a chance de contratar advogados especializados por menos, o que é uma vantagem, ou continuar com seus advogados locais em quem confiam, mas estes vão começar a cobrar menos também, para se adequarem e suportarem a concorrência com os colegas "da cidade grande". As custas processuais também são mais baratas na JF de que na JC do meu estado. De um jeito ou de outro, as vantagens para o cidadão prometem superar as desvantagens (em termos de despesas iniciais do cliente). Já quanto aos honorários cobrados por eventual implantação liminar do benefício no curso da ação e finais sobre os atrasados, vai continuar como sempre esteve: muito variável de profissional a profissional (e é como tem que ser mesmo). Mas na questão do impacto inicial para o cliente, acho que a tendência é que este saia no lucro. Tudo isso financeiramente falando, em relação ao cidadão e ao profissional. Já processualmente falando, todos perdem muito, a começar da celeridade. A notória celeridade da JF em relação à JC poderá ruir muito rápido com essa enxurrada de novas ações sem que antes tenha havido criação de novas varas e prévio concurso para provimento dessas novas vagas. Eis aí uma conclusão: essas novas regras me parecem bem imprevidentes! A lei deveria ter previsto a entrada em vigor após um prazo "x" para criação e provimento de novas varas federais em cada região.
Ita Silva, Político
Ita Silva
Comentário · há 2 anos
Mais uma vez doutor, existe um outro presente de Natal para que os brasileiros se lembrem em quem votou, para já iniciar o ano com o pé esquerdo, um PL que altera as cotas de deficiente nas empresas e, neste mesmo e emblemático pacote de terror existem cláusulas que irá anular mais um direito dos beneficiários. E qual é este direito que está preste a ser aniquilado por este governo, que quer ver as pessoas em estado de miséria pleno, é triste e deprimente a ação contra o povo, fazendo o mesma sentir na pele as ações fria e calculista desta gestão do mal, agora, a gestão do mal vai desconsiderar o tempo em que o beneficiário ficou em gozo de auxílio doença e aposentaria por invalidez, como contagem de tempo, caso estes que se enquadram, queira ir para aposentadoria por tempo de contribuição. Qual foi o engebdramento do mal, é que, neste PL só será considerado o tempo, mas, não será incluído os valores recebidos como média de cálculo para um novo benefício, veja, o tamanho da podridão deste governo contra o povo, com essa atitude, o que realmente vai acontecer na prática, ficará um BURACO NEGRO, em relação aos valores de benefício, imagine una pessoa que se aposentou por invalidez a 20anos e, recebe alta neste maldito pente fino e tem 15 anos de carteira assinada e, quer se aposentar por tempo de contribuição, cuja a lei permite que se possa fazer, então, este aposentado pode se aposentar considerados somente o tempo, mas não os valores, o que isso significa é que os 20anos não serão considerados, este beneficiário receberá um benefício calculado de 20anos atrás, fala sério, isso é uma nojeira, e outra coisa, como não foi respeitado o direito adquirido da texto anterior, assim também, serão desrespeitado nesta questão. Acorda Brasil.
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Campinas (SP)

Carregando

Cássio Furlan

Rua Clodomiro Ferreira Camargo, 371 - Campinas (SP) - 13070-150

Entrar em contato